O Grande Rito

 

A Maçonaria moderna e liberal é um produto do Iluminismo e do efervescente universo de filósofos, pensadores e artistas que a partir de 1645, enxergou nela uma nova estrada para a Fraternidade, a Solidariedade e a Reflexão.

O nascimento do Grande Oriente da França em 1728 com um objetivo mais humanista e fraterno focado no desenvolvimento individual (intelectual, moral e espiritual) e na reflexão sobre os problemas do mundo e as questões sociais abre caminho para nova iniciativa de leitura maçônica: A Maçonaria LIBERAL.

Na tradição de pesquisa e emancipação do Grande Oriente Maçônico para os Países de Língua Portuguesa, a iniciação maçônica é o compromisso que deve transformar o SER HUMANO em todas as suas dimensões.

" As pessoas não se distinguem, pela diferença nas línguas que falam, as roupas que vestem, os países que ocupam ou às honrarias que possuem. Mas, principalmente pela capacidade e coragem que assumem diante dos entraves e dilemas deste mundo”

A história do Grande Oriente Maçônico para os Países de Língua Portuguesa é pautada por uma série de compromissos de seus membros que tendem a incorporar constantemente esses valores. Hoje o trabalho dos MAÇONS DO GRANDE RITO como são conhecidos os membros do Grande Oriente Maçônico para os Países de Língua Portuguesa incluem também, como viver estes princípios humanistas num mundo em mudança e busca de novos patamares de Justiça Social e Igualdade.

 

PILARES DO GRANDE RITO

Iniciação

Desenvolvido e aprimorado por séculos, a linguagem simbólica do ritual maçônico tende a universalizar e reunir longe do cotidiano e das contingências das linhas habituais, elevados sentimentos e níveis de consciência.

A Iniciação Maçônica mais que uma prática meramente física e local é para o Grande Oriente Maçônico para os Países de Língua Portuguesa um momento de retiro e questionamento independentemente das suas crenças.

Nesta perspectiva, a dimensão iniciática é a ferramenta inicial do maçom para que encontre sentido em sua vida e numa humanidade caminhando para a emancipação.

O Ritual de Iniciação para o Grande Oriente Maçônico para os Países de Língua Portuguesa é um encontro pessoal e místico com um objetivo maior e de abrangência universal: A MAÇONARIA.

 

A liberdade de consciência

 A Maçonaria "liberal" ou "não-dogmática" praticada pelo Grande Oriente Maçônico para os Países de Língua Portuguesa reserva à seus membros a liberdade absoluta de consciência e de pesquisa. O Grande Oriente acredita que as concepções metafísicas são apreciação exclusivamente pessoais e busca como uma obediência tradicional manter relações fraternas com todas as Instituições maçônicas, incluindo as mista e femininas, que ele reconhece com toda a legitimidade e regularidade maçônica.

 

 Os nossos valores

O progresso da ciência, o desenvolvimento do ser humano como um todo tem sido sempre o motor que impulsiona os pensamentos e ações dos MAÇONS DO GRANDE RITO, princípio este que faz parte da tradição de nossa Obediência.

Somos herdeiros de homens e mulheres, todos que à sua maneira, têm trabalhado na melhoria da humanidade: Voltaire, La Fayette, Garibaldi, Auguste Blanqui, Victor Schoelcher, Emir Abd El-Kader, Louise Michael Bakunin, Jean Zay, Félix Eboué, Pierre Brossolette e muitos outros que estamos orgulhosos de saber que eles enriqueceram nossas Lojas de sua presença. Portanto, o Grande Oriente Maçônico para os Países de Língua Portuguesa é um defensor vigilante dos princípios contidos no lema universal da Maçonaria: "Liberdade, Igualdade, Fraternidade"

 

UMA MAÇONARIA PARA HOMENS E MULHERES

Em 1880 um grupo de Lojas Simbólicas, sob a jurisdição do Supremo Conselho de França, deliberou fundar uma Grande Loja, que foi conhecida como "La Grande Loge Symbolique Ecossais de France". Imbuídas de ideais progressistas, entre os quais o de franquear a Franco-Maçonaria às mulheres.

Por essa época, Maria Deraismes, jornalista e militante pelos direitos da mulher e da criança, e o Dr. Georges Martin, senador, conselheiro geral do Departamento do Sena e conselheiro municipal de Paris, empreendiam campanhas a favor dos direitos cívicos e políticos das mulheres, da defesa dos direitos das crianças oprimidas, contra a intolerância e pelo estabelecimento de uma educação laica e que respeitasse as ideias individuais.

A consequência disso foi inevitável. Em 14 de janeiro de 1882, uma Loja denominada "Les Libres Penseurs", iniciou a Srta. Maria Deraismes.

Onze anos mais tarde, em 04 de abril de 1893, Maria Deraismes e Georges Martin, maçom de alta reputação, criam em Paris a primeira Loja Maçônica Mista estabelecendo em definitivo a igualdade iniciática do homem e da mulher.

Hoje, mais de 130 anos depois a Maçonaria Universal abriga mais de 9.000.000 de maçons homens e mulheres em todo o Mundo tornando-se desta forma, uma Fraternidade Ùnica e Incomparável.

O Templo

Para o Grande Oriente Maçônico para os Países de Língua Portuguesa o Templo é o espaço mais Sagrado, Simbólico e Místico que existe de maneira real e expressiva dentro de cada Maçom Comprometido com os Princípios Universais da Maçonaria.

Longe das especulações e vaidades, dos suntuosos prédios e Cenáculos, a Maçonaria sempre se fez existir de maneira secreta e intimista através do Painel da Loja.

A constante pregação e proposta da Maçonaria em sua Origem preservava a identidade e a doutrina da Excelsa Maçonaria dentro de cada Maçom que tinha por obrigação e desejo guardar em si todo conteúdo simbólico de nossa mais Honorável Ordem.

Se estiver só, sou o Templo; Se estivermos juntos, somos a Maçonaria!